Ondas Cálidas.

 

Paulo Wenderson Teixeira Moraes

15/05/2017

Quero te ver gingar nas ondas dos mares

Quebrar a crista e projetar pelos ares,

Retornar macia e firme declinando a proa

Saudoso me deixa esta leve garoa

 

Movimentos intrépidos em direção além-mar

A velocidade dos ventos faz desejar.

O sol a prometer a lua

A lua a se fazer possuída nua.

O horizonte a testemunhar

A sonata a ecoar da boca tua

 

A espuma champanhe inebriante

sobre a beleza pujante

Desfaz-se para se refazer véu em eterno dissimular.

Aquilo que queria se esconder antes

O balanço delicadamente fez revelar

A sincronia dos amantes,

No compasso das ondas e no brilho do olhar

Em águas calmas depois da longa travessia,

A nave descansa em completa alegria.

Depois de ter realizado sonhos e fantasia,

Encontramos equilíbrio num estado de pura epifania.

Vem dessas águas

O sal que me abraça.

A onda passa

Me deixa tuas marcas.

E eu volto pra aqui

Esse mesmo lugar,

Nosso cantinho de mar

Feliz, para mim sorris.

 

O sol beija a barra,

Me aquece na praia.

Cheia de graça,

Teu peito é minha casa

 

Volto para ti,

Depois do alto mar,

Ao Aconchego do lar

Enfim, te quero pra mim.