O CONVITE NA CABANA

Depois de muito caminhar e subir uma grande montanha, o lobo avistou um casebre bem simples, mas com uma característica estranha: a porta estava aberta. Portanto, almoçar o proprietário não seria grande façanha.  Ao entrar na casa a recepção foi inesperada, o que dissolveu qualquer intenção maléfica em sua massa encefálica:
- Seja bem vindo, seu lobo, estava lhe aguardando, temos muito a aprender com o nosso conhecimento juntando! – disse o jovem porquinho Cris, cumprimentando.
- Como assim? Eu vou... lhe... comer... – hesitou o lobo pra valer.
- Sim, eu sei, é da sua natureza. Você é apegado à carne com certeza. Não se preocupe, pois você não pode atingir a mim, somente ao meu corpo, pois o espírito é de Deus e não tem fim. A morte faz parte desse lindo jardim!

-Você não teme a morte? - indagou o lobo sem norte.
- Pior do que morrer é viver uma vida sem sentido, violenta e sem sorte. Você já se perguntou o porquê de tanta morte? Precisa haver tantas tormentas? Você nunca sentiu que as coisas poderiam ser menos cinzentas? Por estar tão ligado à vida material, seu pensamento ainda está muito superficial. Desse jeito, qualquer um se torna escravo do próprio desejo, abandonando-se no mundo com desleixo. Se você tiver um pouco de paciência em seu anseio, poderei lhe ensinar do meu jeito, antes que de mim o almoço seja feito. Você poderá conseguir um alimento que na alma tem grande efeito. Posso lhe falar mais a respeito.

-Seu jeito me acalma, eu quero ouvir mais dos ensinamentos da alma!
- Nós somos guiados por uma combinação dessas três qualidades: a ignorância, a paixão e a bondade. Certamente a ação cheia de bondade é a que tem maior racionalidade. Mas todas elas ainda pertencem ao plano da materialidade. Apenas a ação justa e desinteressada é divina, nada espera em troca do que possa ser visto pela retina. Há pessoas que tendem a viver na ignorância ou na paixão, na luta pelo poder e pelo dinheiro, e ainda aguardam a salvação. Escravos da luxúria, prisioneiros da gula (quando se come muito mais do que o necessário, como se fosse uma mula) e da cobiça (quando se quer ter muitas coisas, mesmo quando delas já não necessita). Enfim, no mundo das ilusões esquecem da simplicidade, da humildade e de ter Deus nos corações.

-Mas se eu não comer você, irei viver do quê?

- De algo infinitamente mais poderoso, e então poderá largar o seu osso. Veja: é do Sol que vem a luz que a cada ser irradia. Todo o dia, sem muito esforço, as plantas conseguem viver dessa energia. Os animais vivem das plantas em completa harmonia. E alguns animais comem outros animais que vivem de frutas e verduras, fonte de vitaminas e sais minerais. Sei que não sabia, o sol alimenta e a sua fome sacia. Se alimentar de vegetais é estar mais próximo dos seres celestiais. Todavia, lembre-se de que a comida não afeta os ideais. Ademais, o importante não é o que entra na boca, mas o que dela sai. Cuidado com as cordas vocais! Delas saem coisas que não retornam jamais. Venha, sente-se aqui nesta posição, cruze os pés, assim, entregue seu coração. Vou lhe ensinar uma posição para purificar a mente e descarregar a emoção. Venha se relembrar do som primordial da criação.  Entre no tom, entoe a sílaba OM... e sinta a pulsação.  

Om